Manifesto da SBG pela CAPES e o CNPq
  • Manifesto
  • Notícias
13 de November de 2020

Prezados colegas geneticistas,

 

Como sabem, estamos enfrentando a maior tragédia sanitária global da história recente. Nesse momento, objetivos visando ao fortalecimento das instituições de pesquisa e treinamento de pessoal deveriam figurar no topo da lista dos ministérios da Educação (MEC), que inclui a CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior) e da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) que compreende o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Porém, ao contrário do que seria lógico e esperado, estamos nos deparando com um cenário de abandono e um desmonte dessas instituições que existem há 7 décadas e que vinham sendo fortalecidas e apoiadas em maior ou menor grau, por vários governos, independentemente de suas convicções políticas.

Ao lado de um cenário de negação da ciência e da lógica, a comunidade acadêmica tem enfrentado cortes nas bolsas, uma proliferação de editais de “demanda induzida”, em detrimento de editais abertos para toda a comunidade. Além disso, há problemas técnicos graves com as plataformas Lattes e Carlos Chagas do CNPq e o SCBA da CAPES, provocando perda de informações, dificuldade de submissão de projetos e das prestações de contas. Os avisos pelo e-mail sobre processos para avaliação ad hoc não estão sendo enviados pelo CNPq e muitos pesquisadores se surpreendem ao ver na plataforma que há processos aguardando sua avaliação há semanas, sem que tenham sido notificados.

A comunidade acadêmico-científica assiste, estarrecida, a esse desmonte e à falta de investimentos e de manutenção da estrutura mínima nessas agências em todos os sentidos (bolsas, editais, manutenção dos bancos de dados) em um momento tão desafiante de pandemia. Ainda, vemos o Ministério de Meio Ambiente (MMA) submetido a sérios cortes e a um desmonte das instituições fiscalizadoras, enquanto nossa biodiversidade está ardendo em chamas ou sendo devastada de norte a sul do país, sob o olhar cético e crítico do mundo civilizado. Para piorar, agências reguladoras como a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) estão se tornando reféns de decisões políticas que ignoram as evidências científicas e os interesses da população.

Em vista do cenário exposto, estamos expressando nossa indignação e convocando os sócios da SBG para que protestem também e disseminem essa mensagem junto a seus colegas, alunos, contatos e especialmente a possíveis agentes políticos de âmbito federal, estadual e municipal. Sem dúvida é necessário o engajamento de todos para que o orçamento dessas agências seja garantido, revertendo o atual cenário preocupante.

Contatamos a presidência da SBPC para que se unam a nós em um manifesto ao governo federal.

Ana Maria Benko Iseppon & Diretoria da SBG

PDF icon Download Arquivo (111.22 KB)

Sign up our Newsletter